Matanay

Fundada por Guilherme Viotti há pouco mais de um ano (o trabalho começou em julho de 2010 e a empresa estava formalizada em novembro do mesmo ano), a Matanay é uma empresa que ajuda o artista a promover e distribuir seu trabalho diante das novas tecnologias, atuando no que vem sendo chamado de “marketing de guerrilha” e apostando no contato direto entre o artista e seu público.

Os clientes da empresa são gravadoras, selos, coletivos e artistas que, nas palavras do próprio Guilerme, “já estão há um tempo na estrada, já bateram em algumas paredes e não sabem para onde estão indo, já carregaram amplificadores suficientes para saber onde o sapato aperta e aí me dizem: agora me ajuda!”. Para Guilherme, os artistas iniciantes ainda não veem a necessidade de uma empresa como a Matanay, nem costumam ter muitos recursos para investir, assim como os artistas consolidados que possuem uma carreira tradicional e que não estão atentos às ferramentas que estão disponíveis para ele hoje.

O principal serviço prestado pela Matanay é o planejamento e a coordenação da carreira do artista para atingir seus objetivos, incluindo onde e quando investir. Esse é o serviço que mais rende receitas para a empresa. Mas a Matanay também executa algumas das atividades planejadas. Depois do planejamento, a relação da Matanay com o cliente pode ser tanto de execução de atividades como de treinamento do artista para que ele próprio execute as ações necessárias para sua carreira. Em ambos os casos, Guilherme acredita que o artista precisa ser um pouco empreendedor.

Entre as atividades realizadas pela empresa estão: ação em SMS para promoções e montagem de canais para recebimento de informações; assessoria de imprensa e mídias sociais; produção de vídeo; montagem de site e e-commerce; distribuição digital de música dentro e fora do Brasil; criação e distribuição de merchandising e venda de produtos dentro do site do artista ou da empresa; webrádio (criação de plataforma e licenciamento junto ao ECAD); assessoria em turnês (parte operacional, venda de show, bilheteria, etc.); treinamento para uso de ferramentas digitais; análise da participação do artista nas redes sociais e prospecção de possíveis fãs do artista nas redes (o que Guilherme chama de “trabalho de cupido”). A Matanay representa também a empresa norte-america Mobile Roadie para montagem de aplicativos para celulares e tablets.

Alguns clientes da Matanay são: gravadora Coqueiro Verde, Zuza Zapata, Andreia Mota, Dezo Mota, Georgeana Bonow, Hugo & Matheus, banda Puro Acaso e Oi Música. A maior parte dos clientes está localizada no estado do Rio, mas artistas de fora também contratam a empresa, e as reuniões são feitas por skype.

Antes de estruturar o negócio e formalizar a sua empresa, Guilherme fez uma pesquisa com artistas para avaliar se o tipo de serviço que ele pensava em oferecer respondia às suas demandas. Que agentes intermediários são necessários hoje para os artistas além das gravadoras? Quem são os novos curadores: o Facebook, os amigos das redes sociais? O artista, mesmo que seja empreendedor, precisa de profissionais para ajudá-lo a executar as ações necessárias para sua carreira? Que valor o artista pagaria para esse agente?

Com essa resposta em mãos, Guilherme enfrentou as dificuldades habituais dos empreendedores do ramo para abrir uma empresa: achou o processo caro e demorado. A empresa possui hoje duas funcionárias em tempo integral, uma dedicada a parte operacional da relação com os clientes e outra à parte comercial; os demais profissionais são terceirizados.

No reviews yet.

Leave a Reply